O misticismo grego

Sob a influência ou simplesmente por causa das felizes disposições do espírito grego - animado de independência intelectual, de racional harmonia e de beleza serena – os Helenos, homens livres de cidades livres, pensam livremente o que quiserem em matéria religiosa. Não há nem livros sagrados, nem dogmas impostos, nem autoridade de um clero e nem intolerantes apelos à força.
No entanto, a mais profunda vida religiosa da Grécia antiga teve por centro os mistérios. Trata-se de aproximar o homem, na medida do possível, da perfeição divina para, finalmente, permitir-lhe absorver a substância sobre-humana da qual são feitos os deuses ou, ainda, de absorver-se, de perder-se ele mesmo, no infinito divino. Esse é o misticismo grego, o esforço da alma para ultrapassar a condição humana e viver plenamente a vida divina.
Os mitos mais fortemente relacionados ao misticismo grego figuram entre Dionísio e Deméter, com todos os seus fabulosos personagens.

Dionísio

Nenhum comentário: