O Budismo Japonês

No século VI de nossa era, o Budismo do Mahayama foi levado aos japoneses pelos coreanos que o haviam recebido dos chineses, através da Rota da Seda.

Em muitos pontos o Budismo chocou-se com a consciência japonesa, inteiramente penetrada pelo xintoísmo. O Xinto admite uma infinidade de deuses, os Kamis, e o budismo não admite nenhum, a não ser a própria divindade individual em construção, assim como o xintoísmo afirma a sobrevivência permanente do espírito dos mortos, sem punição nem recompensa, opondo-se a transmigração das almas na eterna Roda de Sansara.

Sendo assim, o budismo precisou modificar-se e adaptar-se à consciência japonesa. No século IX, um conciliador inteligente, chamado Kukai aproxima o budismo do Xintoísmo considerando os grandes deuses xintós como encarnações de Buda, utilizando-se da idéia búdica dos Bodhisatvas ou Bacatsu (em japonês), permitindo então a conciliação. Posteriormente o Budismo japonês concorda que os espíritos dos mortos habitam próximo dos vivos durante uma centena de anos e somente depois reencarnam para recomeçar uma nova existência.

A divindade mais popular é a Kuannon ou Kuan Yin dos chineses, deusa da compaixão: ela é tudo o que consola, o que socorre o que ama.

Os templos budistas são edifícios de madeira pintada, laqueada ou esculpida, enfeitados de obras de arte. Constitui-se o culto dos sermões destinados a moralizar o povo e de serviços que tem a aparência de missa católica.




O budismo japonês passou por três diferentes períodos, intitulados de: período Nara (até o ano de 784 d.C.), o período Heian (794–1185) e o período pós-Heian (de 1185 em diante). Cada período foi palco para a introdução de novas doutrinas. Atualmente as escolas existentes são: Terra Pura, Nichiren, Shingon e Zen.

5 comentários:

yuri disse...

deveria explicar a sua diferença dos outros tipos de budismocomo o chines,tibetano,etc...
abraços.....

lara moncay disse...

Estou trabalhando nisso, dentre outras várias coisas, assim que conseguir organizar o material, irei postar.

Por enquanto, obrigada pela sugestão.

bjks

Anônimo disse...

Adorei seu blog!
Muito bem explicado,de fácil acesso,acho inclusive que serve como um leque para pesquisa.Parabéns!
Bjs...

Lara disse...

Obrigada!!!

Anônimo disse...

concordo! deveria de explicar a diferença entre os outros tipos de budismo, mas mesmo assim está bom.
Foi o melhor que encontrei, não querendo dizer que está MUITO bom, ou até mesmo EXCELENTE. Apenas o acho acessível.
Continuação de bom trabalho