O Império Chinês

A unificação chinesa acontece no século III a.C., através do exército do reino Ts’in situado no vale do rio Wei, na região de Chen-si. O exército de Ts’in caracterizava-se pela excelência de seu armamento; uma cavalaria de grande mobilidade, uma infantaria ligeira e uma artilharia que compreendia máquinas para sítio, torres móveis e catapultas. Seus soldados recebiam créditos e honrarias mediante o número de cabeças inimigas que carregavam consigo.

Ts’in, o fundador do Império Chinês passou a se chamar Che Huang-ti que significa o primeiro augusto senhor. Unificou a escrita, os pesos e medidas, mas a grande obra de seu Império foi a construção da monumental muralha chinesa ligando as antigas fortificações outrora construída por diversos príncipes com a finalidade de repelir os ataques dos Hunos. Ts’in morreu em 210 a.C. e seu sucessor foi incapaz de continuar sua obra. A dinastia dos Ts’in entra em declínio e o Império mergulha numa era de anarquia em que o poder passa a ser disputado pelos chefes militares.




Em 202 a.C. Lieu Pang, um camponês que foi soldado, chefe de bando e senhor feudal, conquistou o Império após uma luta com seu rival Hiang Yu, tornando-se Imperador da China e fundador da dinastia Han que durou quatro séculos, 202 a.C. a 220 d.C.. A dinastia Han é dividida em dois estágios, os Han que reinaram até o ano 6 de nossa era são conhecidos como Han Ocidentais ou Anteriores, os que reinaram até 220 de nossa era são chamados Han Orientais ou Posteriores.


O Taoísmo (que falaremos posteriormente) e alguns de seus seguidores, militantes preocupados com as causas sociais e políticas era conhecidos como “àqueles dos turbantes amarelos”. Na dinastia dos Han Posteriores incitaram uma rebelião que foi reprimida com extrema violência e crueldade. A essa rebelião juntaram-se as intrigas da corte e a ameaça de invasão dos hunos.
Um dos generais, Ts’ao Ts’ao intitula-se “protetor do império” e em 220 d.C., após sua morte, seu filho Ts’ao P’ei depôs o Imperador, usurpando o trono e fundando a dinastia dos Wei.
A China desintegra-se e surgem três reinos. Ao sudoeste, o reino de Chu, sobre o cedro do Imperador derrotado Lieu P’ei; ao sudeste o reino de Wu, fundado pelo general Suen K’iuan e ao norte o reino de Wei.


O reino de Wei caiu sob o domínio de uma família de mordomos, os Sseu-ma. Ssseu-ma Tchao em 265 de nossa era anexa o reino de Chu aos seus domínios e em 280 seu filho Ssseu-ma Yen consegue anexar o reino de Wu, fundando a dinastia de Tsin e re-unificando o Império Chinês.
Inúmeras guerras e invasões aconteceram, os hunos invadiram as províncias continentais deslocando o eixo da Civilização chinesa para o sul, para as províncias marítimas do Império.

.

7 comentários:

Anônimo disse...

qual era a religião desse reinoO?????

lara moncay disse...

A base da religião chinesa é o Sinismo e o Taoísmo. Formam as expressões mais antigas e metafísicas dessa cultura. O confucionismo tem por base o Sinismo e norteia o comportamento social e moral do povo chinês. Na dinastia dos Hans Anteriores o confucionismo foi mais difundido. Na dinastia dos Hans Posteriores o Budismo entra na China (através da rota da seda), foi nesse momento que os Taoístas saíram do reino metafísico e começaram a atuar no meio social, surgindo dessa maneira à rebelião Taoísta representada por “aqueles dos turbantes amarelos”. Após a queda da dinastia Han, no reinado de Tsin, surge uma corruptela do taoísmo, através de Zhang Dading, que afimou ter recebido uma revelação do Mestre Lao Tsé, fundando o movimento Tiasnhdao – Caminho dos Mestres Celestiais – uma tentativa de formatar a religião taoísta, que na sua maneira de ver, estava corrompida. Com as invasões e o deslocamento da população chinesa para o sul, esse movimento é difundido e se mistura as outras expressões religiosas, Confucionismo e Budismo, formando dessa maneira o que conhecemos como Taoísmo Religioso ou popular.

alien13 disse...

A china que se cuide, para que os muçulmanos não façam com seus lindos Templos, que não podem ser substituídos, o que fizeram com as Torres Gêmeas, nos USA.

E,viva a Islamofobia, que varrerá do Ocidente e Ásia, o islamismo, a chaga de humanidade, e suas perversões sexuais: a pedofilia

Cururu nelão disse...

Não entendi bosta nenhuma que esse allien falou ai em cima ,xarope

Cururu nelão disse...

Não entendi bosta nenhuma que esse allien falou ai em cima ,xarope

Claudia Costa em Fortaleza disse...

legal

Anônimo disse...

nossa nao ajudou em nada! tirei 0.1 no trabalho e ainda confiei nesse site!credo heim
!!