Os Tirthankaras


Tirthankaras significa “autores da travessia do rio”, habitam uma região celeste além do alcance das orações e além dos divinos regentes da ordem natural.

Os Tirthankaras representam o objetivo de cada ser vivo, foram isolados (kevala) das províncias do Trimuti, ou seja, da criação, conservação e destruição do mundo. Os “autores da travessia do rio” estão além do acontecer cósmico, são transcendentes, oniscientes, desprovidos de ação e estão em absoluta paz.

As práticas jainistas devem levar o discípulo para além das preces humanas, para além das divindades que respondem por elas e além dos diferentes céus onde habitam os vários deuses até que possam chegar à transcendência pelo caminho criado pelos Tirthankaras.

Para alcançar a transcendência os jainistas pregam um rigoroso ascetismo. Proclamam o valor do jejum e em sua origem ordenavam a nudez, sendo permitido posteriormente “aos fracos” o uso de vestimentas brancas. Esse fato chegou a gerar um cisma entre os nus e os vestidos ou “os trajados de brancos e os trajados de vento”.

O Jainismo leva o ascetismo às últimas conseqüências, sendo normal aos ascetas jainistas morrer de fome. É considerada por muitos a religião do suicídio e seus seguidores são na grande maioria monges esmoles.

Os Tirthankaras representam a vitória do princípio transcendente sobre as forças da carne. Pãrsva, Mahãvira e os demais 22 Tirthankaras libertaram-se das esferas dos medos e dos desejos humanos, passando para um reino onde as condições e vicissitudes do tempo não existem.

São representados erguidos na posição de desprenderem-se do corpo ou em posição de lótus, própria do iogue concentrado.




.

3 comentários:

Anônimo disse...

Essa "religiao" é absurda,vi um documentario e fiquei chocada é cruel ver alguem morrer de fome lentamente em sua frente e nao fazer nada. Principalmente se esse alguem for sua propria mae. Respeito a fé de todos mas abomino crueldade

Anônimo disse...

Quanta bobagem que comentam. Trata-se de uma religião mui séria, antiga e que leva ao desprendimento, ao desapego.

Anônimo disse...

Eu sou Jainista, acho que você que escreveu o comentario inicial é um desentendido e preconceituoso.