Budismo II

As Quatro Nobres Verdades


Primeira: A dor é universal, tudo que existe é dor.

“... o nascimento é dor, a velhice é dor, a doença é dor, a morte é dor, a união com o que não se ama é dor, a separação daquele que se mana é dor, a não realização de um desejo é dor, todos os objetos de afeição são dor...”

Segunda: A origem da dor está nas paixões e no desejo da existência.

“... a dor está na sede (da existência) que conduz os passos de renascimento em renascimento, acompanhada do prazer e da cobiça, que encontra aqui e ali, sua satisfação; a sede dos prazeres, a sede da existência, a sede da mutabilidade...”

Terceira: O fim da dor é a extinção do desejo.

“... a supressão da dor está na extinção desta sede (de existência) através do aniquilamento completo do desejo, quer banindo-o ou renunciando a ele, quer libertando-se dele e não lhe deixando campo algum...”

Quarta: O meio de libertação da dor é a contemplação universal e a mortificação dos apetites através do “Sendero Óctuplo”.

“... o caminho que leva a supressão da dor é o caminho sagrado de oito vias que se chamam: fé pura, vontade pura, palavra pura, ação pura, meios de existência puros, atenção pura, memória pura, meditação pura...”


Aquele que consegue apartar-se dos desejos e consequentemente do Sansara atinge o estágio de “Nirvana”.

A palavra “nirvana” significa “extinção” e pode ser compreendido como um estado de paz perfeita, consequente do cessar do desejo que é a origem da dor e causa e consequência do ciclo de mortes e renascimento (sansara).

.

Um comentário:

SuSu Oliveira disse...

Desprendimento, mais que uma necessidade, uma meta para ser alçada.