Hinduismo (seitas e doutrinas)

Principais seitas e doutrinas:

As três principais doutrinas/seitas são Vaishnavismo, Shivaismo e Smartismo.


Vaishnavismo

É a doutrina do culto à Vishnu e suas encarnações ou avatares, como Krishna e Rama. A meta principal dos vishnavas, a libertação, é alcançada quando o ser individual uniu-se a Vishnu, como parte dele, apesar de manter a sua personalidade individual. O senhor Vishnu, consciência todo-penetrante, é a alma do universo, distinto do mundo e dos Jivas (almas individuais encarnadas), as quais constituem seu corpo. Seus adeptos comunicam-se com a divindade e recebem dele a graça através da Bhakti-Yoga.

A Escola devocional Bhakti tem seu nome derivado do termo Hindu que evoca a idéia de “amor prazeroso, abnegado e estupefante da divindade”. A filosofia de Bhakti procura o usufruto pleno da divindade universal através da forma pessoal. Vista como uma forma de Yoga preconiza a necessidade de se dissolver o ego na divindade, pois a consciência do corpo e a mente limitada são fatores contrários à realização espiritual. Essencialmente é a divindade que promove toda mudança, sendo a fonte de todos os trabalhos.
A mais popular forma de expressão de amor à divindade é através da puja, ou ritual de devoção, freqüentemente utilizando o auxílio de murti (estátua), juntamente com cânticos e recitações de mantras.

Esse sistema de devoção tenta auxiliar o indivíduo a conectar-se com a divindade através de meios simbólicos criando uma conexão crescente. À medida que a divindade vai sendo internalizada e refletida na vida diária do discípulo, menos ele precisará de imagens e formas externas como meio de conexão.

Na Bengala do século XVI a doutrina Vaishnava obteve uma grande contribuição através do Sri Chaitanya Mahaprabhu, filósofo, reformista social e religioso, que produziu uma revolução espiritual conhecida como Sankirtan, o canto congregacional dos Santos Nomes do Senhor Supremo, especialmente o Maha-mantra (mantra supremo): Hare Krishna, Hare Krishna, Krishna Krishna, Hare Hare. Hare Rama, Hare Rama, Rama Rama, Hare Hare.

O ocidente entrou em contato com essa doutrina através do guru Vaishnava, Bhaktivedanta Swami Prabhupada que apresentou, por todo mundo, o “Bagavad-gita como ele é”, bem como outras obras hindus que foram traduzidas e publicadas em mais de 120 línguas, divulgando, desta mesma forma, o Maha-Mantra.

Shivaismo

A meta principal do Shivaismo é a realização de uma unidade pessoal com Shiva, que pode ser alcançada nessa vida, postergando a libertação final (Moksha) para a próxima vida. Através dessa união com a superconsciência do deus Shiva permite que a perfeita verdade, conhecimento e bem aventurança sejam conhecidas. Para os shivaístas a realização está dividida em quatro estágios progressivos, de crenças e práticas. A alma se desenvolve através do karma e da reencarnação, da esfera instinto intelectual, dentro de uma vida virtuosa e moral, indo ao templo para adorar e devocionar, seguida pela adoração internalizada ou yoga (união) e disciplina meditativa. A união com Shiva advém através da graça do Satguru (mestre espiritual) e culmina no estado de maturidade da alma ou Jnãna (sabedoria). O Shivaismo valoriza tanto o Bhakti-Yoga como o Sadhana ou práticas contemplativas.


Smartismo

A meta dos smartas é moksha (libertação do sansara) realizando a unidade com Brahman, o Absoluto. Para isso deve superar o estado de Avidya (ignorância), que dá a aparência ao mundo como se fosse real. Toda a ilusão desaparece para o ser realizado ainda que viva a vida no corpo físico. Na morte, tanto seu ser interior como o seu corpo físico são extintos. Apenas existe o Braman. O caminho de Moksha é possível apenas através da Jnãna-Yoga, ou seja, pelo caminho intelectual e meditativo. Os estágios progressivos desse caminho incluem o estudo das escrituras, reflexões e meditações. Guiados por um guru realizado e declarando a irrealidade do mundo, o iniciado medita em si mesmo como Braman, para quebrar a ilusão ou Maya. Os devotos devem, também, escolher um dos três caminhos para cultivar a devoção, acumular um bom Karma e purificar a mente: bhakti-yoga, karma-yoga e raja-yoga, os quais conduzem a iluminação.
.

Um comentário:

Octavio Silveira disse...

AS DOUTRINAS ESPIRITUALISTAS SÃO RESPEITÁVEIS PORQUE TRAZEM EM SEU CONTEÚDEO FRAGMENTOS DA PURA VERDADE QUE AINDA NÃO PODEMOS ALCANÇAR.
NO ENTANTO O ESTUDIOSO JUNTANDO ESTAS FAGULHAS
CONSEGUE FORMAR SEU PRÓPRIO CONCEITO E CRIAR EM SUA MENTE UMA IMAGEM ACEITÁVEL DO CRIADOR,
ACREDITANDO QUE A UNIÃO COM O SÊR SUPREMO ACONTECERÁ QUANDO LIVRAR-SE DA MATERIALIDADE NATURAL E DOS VÍCIOS ADQUIRIDOS. ISSO SERÁ CONSEGUIDO ATRAVÉZ DE INÚMERAS REENCARNAÇÕES.